Arrependei-vos.







Amigos pensadores queiram dividir comigo algumas questões acerca do arrependimento, que nos últimos dias têm me tirado o sono. Por favor, não me ignorem.
·         O que é arrependimento?
·         O que cometeu ou pensou o homem, para ter que se arrepender?
·         Por que no NT se fala tanto de arrependimento?
·         João Batista “A voz que clama no deserto”, prega o arrependimento anunciando o Reino da Salvação.
·         O próprio Jesus prega o arrependimento, nos fazendo entender que é o arrependimento a porta de entrada para o seu Reino.
Definição para arrependimento: palavra de origem grega metanóia, que denota “mudança de mente”. 

Na interpretação de Ed Renè Kivitz: Metanóia é algo mais profundo é a expansão da consciência, capacidade de enxergar as coisas de outro prisma ou mesmo enxergar as coisas de perspectiva mais completa. 

Metanóia, segundo Ed é a experiência que nos possibilita dizer: “Mudei já não penso mais assim, já não consigo ver as coisas como antes, redefinindo nossos valores. 

Resta a questão: O homem envolto nestes questionamentos está arrependido?
No meu modesto entendimento, arrependimento é a atitude que possibilita ao homem retornar a sua origem, sua matriz Deus.
Compreendendo que naquilo que constitui o homem, está à liberdade de escolha as opções surgem a sua a frente e Deus não vai escolher por este homem. Está nas mãos do homem esta escolha já que é conhecedor do bem e do mal.
O homem pode então fazer uma boa escolha ou uma má escolha. Deus em seu infinito amor permitirá ao homem as duas possibilidades errar e acertar, quando o homem acerta não á nada de extraordinário nisto, mais quando erra, o mais difícil é reconhecer que errou é ai então que talvez esteja a chave das questões: A disposição humana de reconhecer que tomou o rumo errado e agora a parte mais difícil é voltar atrás, renunciar o seu ego, ver que se perdeu e que precisa voltar, para isso não tem jeito o primeiro passo tem que ser dado e somos nós que temos que dar este passo.
Jesus é caminho do retorno, pois nos revela na sua pessoa a pessoa do Pai em atitudes de amor para com o Pai e para com o próximo.
“Disse-lhe Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai se não por mim.
João 14.6.

11 Response to "Arrependei-vos."

  1. Marcio Alves says:
    13 de janeiro de 2010 17:36

    “Errar é humano”, já dizia o ditado popular.


    “Quem nunca errou atire a primeira pedra”, disse Jesus.


    O que faz do homem, homem, não são os seus acertos, mas os seus erros e principalmente sua atitude de reconhecer tais erros.


    Vou mais além ainda:
    Errar faz parte do processo pedagogico de viver!


    De novo irei mais longe ainda:
    Quem nunca errou é porque nunca viveu de verdade!


    Viver é fazer escolhas, arriscar, sonhar, vencer, mas também fracassar, desiludir, perder, mas com tudo isto, ainda sobreviver.


    Juntar os cacos, se erguer, levantar e tentar mais uma vez.
    Os perdedores não são os que perdem, mas os que desistem de lutar.


    Erra faz parte do homem, mas se arrepender faz parte de um grande homem!

    Abraços

  2. Gresder Sil says:
    13 de janeiro de 2010 18:15

    É isso mesmo, mas parece que as pessoas querem que a gente demonstre um certo sentimento para confirmar nosso arrependimento.

    Que é o mesmo que dizer que os crentes querem nos ver com um semblante “derrotado”, pois tal abatimento de espírito que é um estado de humilhação, é uma forma de a gente pagar o preço pelo pecado.

    Crente é assim mesmo, não aceitam o perdão de graça, temos que pagar o preço, temos que ficar de luto pelo pecado, temos que desfilar nossa estado de prostração e lastima como uma forma de penitencia.

    Pois esse sentimento terrível que abate as pessoas que “caem” em pecado é entendido como o pesar da mão de Deus sobre a pessoa. Mas que na verdade se trata de uma coação social que abate sobre o individuo, pois todos os olhares estão dirigidos a ele, quer com ar de reprovação ou pena.

    Arrependimento é a condição em que se volta ao estado natural a qual perdemos no momento da transgressão. É obvio que isso abate o nosso espírito, mas não por motivo moral meritório, mas sim pelo nosso amor próprio que sente que a gente se deu mal. O arrependimento como sentimento não tem valor espiritual nenhum.

  3. Edson Moura says:
    13 de janeiro de 2010 21:39

    Jair, arrependimento na minha opinião é muito mais que mudança de pensamento, como sugerre a etmologia da palavra.

    Não é só lamentar o ato praticado, ou voltar atrás na palavra.

    Arrepender-se é cultivar uma idéia que na maioria das vezes é muito contrária às suas.

    Muitos dizem que se arrependem, mais não largam o osso, é o caso de Daví.

    Será que ele se arrependeu do que fez à Urias, seu fiel soldado?

    Mas não largou a mulher que originara à toda sua derrocada como líder.

    Arrepender-se é estar preparado para entar em conflitos que muitas vezes nem se pode verbalizar.

    Arrepender-se é criar dentro do coração, a braveza para nunca mais cometer o mesmo erro.

    arrependo-me de muitas coisa Jair. Não as cometerei novamente, mas ás vezes tenho o desejo de cometê-las...então começa a guerra interior.

    será que de fato me arrependi?

    Não sei!

    Prefiro acreditar que sim.

    Abraços!

  4. Gresder Sil says:
    13 de janeiro de 2010 23:00

    Caramba Edson, você é um ermitão do deserto, nem monge é tão rígido assim, fala serio viu, o loco meu, é muita austeridade pro meu Agosto de desgosto. Eu vou ter que fazer uma oração ai pra você se libertar dessa severidade toda.

  5. Levi Bronzeado says:
    14 de janeiro de 2010 00:28

    Prezado Jair

    Demorei mas cheguei para me alimentar da comida boa que é esse seu ensaio: "Arrependei-vos"

    Esse prato: "arrependimento" é a refeição nossa de cada dia. Sem ela, como poderemos crescer?

    A cada dia nos arrependemos de algo que poderia ser feito de outra forma. Levantamo-nos (arrependidos) quantas vezes forem necessárias, para sacudir a poeira e dar a volta por cima (rsrsrs)

    É através do arrependimento que arejamos mais a mente com o vento do alto, que arrasta o que é supérfluo, nos induzindo a reflexão, sem a qual não poderemos renovar o nosso entendimento, para saber qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

    Abraço fraternal,

    Levi B. Santos

  6. Jair dos Santos says:
    14 de janeiro de 2010 07:28

    Obrigado a todos os meus amigos comentaristas.

    Voces expuseram de maneira bem clara o verdadeiro sentido do arrependimento. Marcio, Edson, Esdras, é sempre bom tê-los aqui. Só faltam o Eduardo e Wagner para apimentarem o assunto rsrsr...

    Mestre Levi acabei de chegar do trabalho e estou como diria o Chaves felicicicicicimooo com sua visita no meu cantinho virtual que para decorá-lo coloquei o meu coração.

    Seu comentario só vem abrilhantar estes rabiscos que você tão generosamente chamou de ensaio e comida boa.

    Forte abração.

  7. Jair dos Santos says:
    14 de janeiro de 2010 07:46

    Amigos da Blogsfera.

    Diante do que já podemos perceber á respeito dos herejes (Eduardo e Wagner) e su comentarios apimentados. Proponho á partir de agora que deveriamos chamá-los de "Pimentas do Reino"...rsrsrs.
    O que acham?

  8. Eduardo Medeiros says:
    15 de janeiro de 2010 18:16

    Jair, tô sem pc em casa, por isso ando meio devagar.

    Proposta de reflexão interessante. Mas antes de tudo, quero perguntar? "Arrepender-se de quê"?

    O cristianismo é a religião dos arrependidos. Me arrependo de ter falado palavrão, me arrependo de ter faltado ao culto, me arrependo de ter discutido com minha mulher....

    crente se arrepende de tudo que ele crê seja "pecado".

    Mas o que é pecado?

    Em relação à deus, do que deve me arrepender?

    devo me arrepender de crer nele já que ele se arrependeu de ter feito o homem?

  9. Jair dos Santos says:
    15 de janeiro de 2010 20:30

    Pois é Eduardo está é exatamente a minha questão.

    Por outro lado também me pergunto será que não tenho mesmo nada do que me arrepender?

    Arrependimento profundo lá na consciência, não estes remorsos que hora ou outra sempre caimos?

    Falo do arrependimento que me fara mudar o meu carater, a minha maneira de encarar as coisas, entende?

  10. Marcio Alves says:
    16 de janeiro de 2010 00:37

    ô Eduardinho brincadeira você viu!!!
    Tá loco heim!!!!
    Resolveu assumir de vez a minha tatica.....as das perguntas.....você metralhou o jair......não deu nem tempo para ele respirar.......quero saber a sua opinão sobre o assunto, e não ficar perguntando.....

    Abraços do original perguntador. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  11. Eduardo Medeiros says:
    16 de janeiro de 2010 13:12

    Ô Marcinho, olha o respeito com os mais velhos heim seu moleque!!! se você incorpora estilos e ideias minhas, do Gresder, do Edson, do Jair...porque não posso fazer o mesmo contigo??? heeeeee

    Jair. Como o márcio escreveu lá na sala dele, o nosso passado é nosso. Quando você faz algo ruim e se arrepende, esse fato não vai sumir do teu currículo de vida. Vai está lá.

    Mas será que seria desejável tirá-lo de lá? de uma forma ou de outra, o que você é hoje, também é resultado daquele erro. Ou não?

    Então, concordo que até podemos e devemos nos arrepender de passos mal dados, mas de forma nenhuma, desejar que ele seja apagado da existência.

Postar um comentário