Troquei a oração pela percepção.





Faz muito tempo que não oro.
Não menciono se quer uma palavra para Deus.
O barulho da minha voz vai me tirar à audição.
O som irritante das minhas reclamações vai calar a voz de Deus.
Já disse o sábio Salomão:
Melhor é ouvir do que fazer longos discursos.
Dois ouvidos para ouvir, uma boca para se calar.
No lugar de uma bela oratória, muito bem articulada, que tal um pensamento bem organizado?
Ao invés das mesmas petições, por que não uma declaração de amor?
Ao invés de horas machucando meus joelhos e os ouvidos de Deus, por que não se levantar pegar na mão dele e caminhar de encontro ao vento?
È no silêncio que posso sentir a presença de Deus.
Prá que palavras jogadas ao vento? Se o que mais importa é este momento?
Momento em que Deus fala ao coração na sinfonia silenciosa de uma poesia.
Quietos, silêncio percebam Deus está falando.

16 Response to "Troquei a oração pela percepção."

  1. Marcio Alves says:
    16 de janeiro de 2010 18:13

    Faz um tempão que deixei de orar.


    Não oro para dormir, não oro para comer, não oro nem na igreja.


    Quando estou com os meus olhos fechados lá na igreja, as pessoas pensam que eu estou a orar, mas não estou, eu estou é meditando!


    Troquei a oração pela meditação da reflexão!


    Não consigo não pensar, pois quando penso em não pensar, eu já estou pensando no pensamento de não pensar.


    Oração como bem definiu Paul Tillich, é a meditação, reflexão diante do grande mistério.......Deus.


    Quando perguntaram a Madre Tereza de Calcutá, o que Deus falava para ela, quando orava, o que ela respondeu: “Deus não fala, só escuta”, ao que replicaram: “Bem, o que você fala com Deus?”, o que respondeu: “Eu também não falo. Só escuto.”


    Ao contrário do que muita gente pensa, o silêncio também é uma oração.


    Acredito que, se a maioria dos crentes ficassem apenas calados diante de Deus, seria muito melhor e mais significamente profundo, em uma adoração verdadeira a Deus, do que pedir-pedir e só pedir!!!


    Abraços

  2. Edson Moura says:
    17 de janeiro de 2010 14:28

    Certa vez perguntaram pra madre Tereza, o que ela falava pra Deus quando orava.

    Ela respondeu que só ouvia.

    O reporter então perguntou pra ela o que deus falava:

    Ela disse que Ele não falava nada, só ouvia também.

    Esta oração é que sai do coração do homem para o coração de Deus sem pronunciar nenhuma palvra.

    Belo poema mano jair.

    Deixa eu correr agora que hoje é dia do Senhor, e eu tenho que "buscar minha bença". Rsss

  3. Marcio Alves says:
    17 de janeiro de 2010 14:36

    Edson isto que dá você não ler os meus comentários antes de fazer o seu comentário, para não ser influenciado por mim......você escreveu basicamente as mesmas coisas que eu escrevi.....esqueceu que a fonte onde bebemos agua é a mesma, só poderia dar nisso!!!

    Da próxima vez, ve se le pelo menos o meu comentario!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Jair dos Santos says:
    17 de janeiro de 2010 15:27

    Meus queridos amigos; vocês de maneira inconciente, conseguiram decifrar o poema, ou seja, a espinha dorsal da postagen é exatamente esta: Meditação e relexão como define Paul Tillich e a oração da Madre Tereza "Ela e Deus", não se falama nem se escutam, mais se percebem. Isto é intimidade.

  5. Gresder Sil says:
    18 de janeiro de 2010 00:44

    Jair me desculpe à demora é que eu estava lendo os infindáveis comentários do Marcio (temos que conversar seriamente sobre isso no nosso concilio) e por isso não cheguei antes.

    Quando uma pessoa conhece a outra por muitas experiências juntas e conversas, em muitos casos não precisa se disser nada, pois as coisas estão subentendidas.
    Talvez seja este caso, que por já termos conhecidos a Deus, sabemos claramente sobre sua vontade, assim como sabemos que ele sabe das nossas necessidades e preocupações. Mas tão saber não é teológico, mas inconsciente do coração, pois sentimos no ar o que é e o que não é para Deus.

    De forma que podemos viver sem a obrigação de dizer a Deus qualquer coisa, pois sentimos poderosamente essa sensação de entendimento mutuo entre as partes.

  6. Edson Moura says:
    18 de janeiro de 2010 00:57

    Caramba Jair! Kkkkkkkk! meu comentário é o mesmo do Marcio!

    Eu não costumo ler nenhum comentário antes de escrever o meu...como o Marcio disse, pra não ser influenciado pelos outros comentaristas.

    Não é a primeira vez que isso acontece conosco. Rssss

    Mas veja o lado bom:

    Com isso você acabou ganhando mais 2 comentários:

    1 é o Marcio me zoando!

    2 o outro sou eu me desculpando!

    Ainda terá um terceiro que será você dizendo que não tem problema nenhum! Kkkkkkkkkkkkk

  7. Jair dos Santos says:
    18 de janeiro de 2010 07:41

    Não tem problema não meus queridos comentem bastante. Voces serão recompensados, óia isso é profetico e eu nem orei em favor desta causa...rsrsrsr

  8. Jair dos Santos says:
    18 de janeiro de 2010 07:45

    Perfeito Gresder; não precisa nem explicar meu querido já conheço o Marcio, segundo ele disse que vc tá correndo do debate...rsrsrsrs

    Seu comentario sintetiza o que é um relacionamento de confiança. Confiamos em Deus e Ele a nós confia.

  9. Marcio Alves says:
    18 de janeiro de 2010 10:08

    Maldito sejas Gresder!!!!

    Esta queimando o meu filme mais uma vez, e agora com os meus próprios manos!!!!!

    Você não perde por esperar!!! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHAHAHAHAHAHA

    Só mais um pouquinho desta risada sinistra para te assustar!!
    hahahahahahahahahahahahahahahhahahahahahahahahahahahahhahahahahahahahahahahahahah

    Você vai ser amaldiçoado Gresder, vai ficar sonhando comigo e com meus gigantescos comentarios !!!!!!!!! hahahahahahahahahahahahahahahhahahahhahhahahahahahahahha

    Abraços e sem risadas!!!
    hahahahahahahahhahahahahahahahahahaahahahahah

    Putz eu não consegui!!!! hahahahahahhahahahhahahahahahahahahahahahahahhaahahahaha

  10. Jair dos Santos says:
    18 de janeiro de 2010 11:48

    Senhores Marcio e Gresder;

    Advirtu-os que esta é uma sala para
    crente certo (não para crente errado)rsrsrrs, se vcs querem ficar trocando farpas vão lá pra sa do Eduardo ou pro diabo que os carregue...rsrsrrs


    Brincadeirinha...hehehehe

  11. Paulinha says:
    19 de janeiro de 2010 21:12

    Querido amigo Jair, cada dia seleciono um blog para dar uma espiadinha, e hoje por acaso, acabei chegando aqui....mas ainda bem que aqui está até calmo, porque olha, aquela página do Gresderzinhoo tá osso duro de roer...kkkkk........

    Como sempre eu chegando atrasada...mas aqui estou eu para retribuir comentários, pois você tem feito muitas visitinhas em meu blog....

    Antes de mais nada, parabenizo-o pelo Blog e pelo artigo recente, que ficou maravilhoso.
    Confesso que quando comecei a ler, nas primeiras linhas me veio uma leve idéia contrária à sua, mas chegando ao fim do poema, e lendo com muita atenção, podemos perceber a grande mensagem que você tenta nos passar. Realmente, muitas pessoas ficam naquela obscessão de oração, e acham que têm que orar, porque se não orar Deus não irá nos ouvir. Mas na verdade, assim como muitas coisas, a oração acaba se tornando uma mania, um costume, uma regra...e muitas pessoas começam a fazê-la porque acham que é um dever.
    Mas, não é assim que as coisas funcionam muitas vezes, a realidade é que nós como seres e filhos de Deus, precisamos ouví-lo, e aguardar em silêncio a sua resposta. Como o mestre vai te ouvir, se você fala o tempo todo?! é preciso calar a nossa voz, para que a voz dEle seja exaltada.....É no silêncio, que ouvimos a voz do Senhor.....Deus fala aos nossos corações, e não aos nossos ouvidos...


    Bjo querido. Aguardo sempre em meu blog.

  12. Jair dos Santos says:
    20 de janeiro de 2010 12:14

    Paulinha dizer que vc enfeita meu blog com sua visita é chover no molhado, todos aqueles marmanjos disseram a mesma coisa....rsrsrsrs.

    Sua visita não só enfeita como valoriza este cantinho virtual onde depositei meu coração. Cada postagem aqui publicada tem um pedaço do meu coração, procuro ser guiado por ele ao invéz da razão.

    Só a sencibilidade de uma mulher para desenvolver um comentario que retrata ideia intrínseca neste singelo poema.

    bjos e volte sempre!!!

  13. Wagner says:
    20 de janeiro de 2010 16:07

    Muito bom o post.
    Só uma resalva: Um dia eu ouvi uma mensagem do Caio em que ele dizia alguma coisa sobre a oração.
    Deus não precisa da nossa oração, porque oração faz bem pra gente e não porque Deus tem a necessidade da nossa oração.
    Oração faz bem pra gente. Fiquei pensando.
    Faz bem para nós confessar, falar, colocar pra fora auilo que está entupindo a gente, faz bem abrir o nosso coração.

    Que benefício temos na oração

    Quem bem maravilhoso a oração (não reza).

    um abraço

  14. Jair dos Santos says:
    20 de janeiro de 2010 19:54

    Wagnão muito bom ter vc por aqui, só vem valorizar meu blog. Volte sempre.

    Abraço.

  15. Eduardo Medeiros says:
    21 de janeiro de 2010 19:37

    Jair, a nossa geração de evangélicos transformou a oração em petição. Pede isso, pede aquilo...

    Mas pedir coisas materiais a deus é a mais "baixa" forma de orar. Melhor dizendo, não é orar.

    Oração não é gesto: joelhos dobrados, falatórios sem sentido.

    eu oro muito.

    Quando eu digo à minha esposa "eu te amo', estou orando; quando me preocupo com os problemas de alguém, estou orando; quando estou vendo a chuva cair e os meus cachorros todos encolhidos na sala para não se molharem, estou orando; oro fervorosamente quando me extasio diante do MISTÉRIO da existência.

    Não preciso orar a deus, pois ele não está "lá", ele está "aqui", então, quem se percebe um com o mistério divino, cada ato da existência torna-se oração

    * * * * *
    nota: sobre chuvas e cachorros: tenho 6 cachorros. E nesses dias em que a chuva tá desabando sem piedade, eu os coloco prá dentro da sala pois no quintal não dá para eles se abrigarem totalmente. Minha esposa reclama. Mas aí eu dou um beijinho nela e digo: "tadinho dos bichos, moxinha..." e aí, ela sorri e acaba concordando.

    * * * * * * *

    nota: moxinha e moxinho são os apelidos carinhosos e idiotas com os quais nos chamamos a 8 anos rsssss

  16. Jair dos Santos says:
    21 de janeiro de 2010 21:05

    Até que em fim hein Dudu, senti sua falta meu véio.

Postar um comentário