Aversão a religião


Por que sou melhor?
Que graça viu em mim, para ter me escolhido?

Entre povos e nações
Por que eu sou o ungido?

Os outros morrerão?
Estão perdidos?
Por que esta divisão?

Por quê?

O que fizeram para merecer?
O que deixaram de fazer?
Eu gostaria de saber!

Existe um “deus” mais justo?
Existe um “deus” menos protetor?
Existe outro “deus”

Quero conhecer!
Se me considerar culpado
Deixe-me morrer

Não quero proteção
Enquanto sofre sozinho o meu irmão

Não quero fartura e ver morrer a criança imatura
Não quero cobertor e deixar morrer de frio o menor infrator

Não quero aliança
Enquanto desabrigados perdem a esperança

Não quero religião e ver na porta da igreja mendigos dormindo no chão

18 Response to "Aversão a religião"

  1. Gresder Sil says:
    17 de março de 2010 18:46

    Se o blog de lá é uma confraria esse aqui é uma confeitaria pois estas sobremesas que você oferece são deliciosas de ler e comer.

    Gostei de mais destas rimas e desta autentica teologia de rua, esse modo de ver ficou mais claro ainda com a sua poesia.

    Pois mitos, poesias contos e parábolas existem para isso mesmo: clarear o pensamento deixando ele mais nítido ao entendimento e coração.

  2. Edson Moura says:
    17 de março de 2010 20:26

    Jair...nem sei o que dizer de tudo isso que escreveu mano!

    Se eu fosse bater algumas estacas no outro evangelho...certamente extrairia de seu poema...muitas das ideias.

    Parabéns meu amigo e irmão.

    Que compartilha comigo, a mesma opinião

    Se Deus quer cuidar de seu povo com carinho

    Deve começar com os que não têm no prato um bocadinho.

  3. Isa Medeiros says:
    17 de março de 2010 21:09

    Este poema demonstra a apurada sensiblidade do autor e sua preocupação com o destino e com a atual realidade dos que sofrem ao redor do mundo.

    Na verdade, sempre que vou a algum lugar com grande aglomeração de pessoas, invariavelmente me vêm a mente questionar o porquê de todas aquelas pessoas estarem virtualmente condenadas enquanto "eu estou salvo". O que elas têm de pior, de diferente? O que fizeram de mal ou deixaram de fazer de bem? E para quem?

    Um abraço, grande poeta!

  4. Isa Medeiros says:
    17 de março de 2010 21:10

    Só um P.S.: Já adicionei o seu blog à minha lista de blogs lá no Um pouco além do óbvio.

    Abraço.

  5. Paulinha says:
    18 de março de 2010 01:35

    Amigo JAIR,

    Este ensaio me emocionou!!!

    Também penso muito sobre esta questão, a questão de alguns terem mais que outros, de uns viverem tão bem ...enquanto outros nem viver conseguem.....

    A realidade é que alguns são beneficiados e outros abandonados........

    Todos somos filhos de um mesmo Deus, um Deus que nos ama de forma incondicional....inexplicável.....mas o que tento entender é porque um pai presenteia uns filhos mais que outros?! Será que alguns fizeram por merecer e outros não?! Mas um pai não vê os defeitos do filho, pois quando trata-se de amor, não trata-se de muitas escolhas....
    Eis o x da equação...quero dizer, da questão...rsrsr..

    Não julgo DEUS e nem julgaria jamais....mas se por algum motivo existem tais irmãos necessitando de ajuda, vou adotar isto como sinal de que devemos ajudá-los...e não cobrar de Deus...

    Se podemos fazer, devemos fazer!! (Aprendi esta com o poeta Edson..rs)

    Creio que este 'mundo' depende um pouco mais de nós...e de nossas ações...pois estamos aqui!!

    Beijos!!
    Muita paz!!

  6. Marcio Alves says:
    18 de março de 2010 09:09

    Bela poesia Jair, carregadas de significados.

    Realmente a dor do mundo, dos outros seres humanos dói em nós, e porque não em Deus?

    Me solidarizo com a raça humana, não peço e nem aceito nem um privilegio advindo de Deus que não seja global e geral.

    Abraços

  7. Jair dos Santos says:
    18 de março de 2010 09:28

    Amigo Gresder;

    Nunca é demais dizer que bom ter você por aqui, pois este é maior objetivo deste blog, manter por perto os amigos.

    Pois é meu irmão quanto a questão abordada nesta poesia, a suposta proteção de Deus aos religiosos, enquanto a grande maioria passa dificuldade, isto acontece porque os homens que deveriam ser agentes de Deus não cumprem a sua função e dizem que é pela oração que o problema será resolvido.

    O problema da fome se resolve com alimento, o do frio se resolve com abrigos e proteção, o da delinquencia juvenil se resolve com oportunidades, e não podemos jogar a responsábilidade para o governo, igreja e até mesmo Deus, neste caso minha opinião é que Deus não fará aquilo que eu posso fazer.

    Forte abraço.

  8. Jair dos Santos says:
    18 de março de 2010 09:44

    Meu Mano Edson Noreda rsrsrs...

    Sua visita é muito importante para mim, sem desmerecer os demais, mas quando leio um comentario seu, tenho-o como base para novas ideias, meu amigo tenho aprendido muito contigo. Sei das suas ideias e o seu desejo de adotar uma familia, sei que não é facil, mas se cada um fizer um pouquinho, podemos amenizar a dor daquele que esta perto de nós passando necessidade.

    Vejo nas nossas igrejas cultos especificos destinados a missões e poucas realizações ou nenhuma, na verdade estes cultos servem apenas para promoção de pregadores. Fala-se de missão na Africa, missão está onde eu posso estar, missão está onde posso ajudar.

    Ajudar sem olhar a quem, ajudar sem pensar no tal do galardão, pois se assim fizermos, onde estrá a nobreza do gesto?

  9. Jair dos Santos says:
    18 de março de 2010 09:59

    Isaias Presidente da Confraria;

    Com a poesia podemos viajar no surreal e em meio aos contos e rimas imaginar o que se quiser imaginar.

    Mas nestes ultimos dias tenho sido impulsionado a abordar a realidade nua e crua da vida, a fim de que venhamos despertar para a vida que acontece debaixo do nosso nariz.
    Pensar, refletir, agir, falar de amor e fazer com que este amor alcance o necessitado, isto para mim é que é religião.

    Muito Obrigado por ter me adicionado no seu blog.

    Como eu não entendo muito e não sei mexer nas ferramentas do blog, acompanho seu blog palo blog do Edson e Marcio. Bem que eu já tentei alterar a lisatagem dos blogs que eu acompanho, mas não consigo.

  10. Jair dos Santos says:
    18 de março de 2010 10:15

    Amiga Paulinha;

    Percebo sua sencibilidade e sei que o que esta falando vem de dentro do seu coração.

    A realidade da vida é chocante, é assustadora e não podemos ficar de mãos atadas.

    O Edson é testemunha do trabalho que junto com ele e o Marcio realizamos na Praça de Campo Limpo (bairro onde moramos) ver (hoje estou um pouco ausente devido meu trabalho, não quero ficar dando desculpas). é triste ver situação de abandono que se encontram aqueles homens durmindo debaixo de uma marquise e que para anesteziarem o sofrimento se entregam a bebida e as drogas.

  11. Jair dos Santos says:
    18 de março de 2010 10:30

    Marcio meu amigo e irmão, sempre junto comigo e quando precisei você me estendeu a mão isso é que é ser usado por Deus para promover o bem estar dos nossos semelhantes, não digo isto só porque você me ajudou, mas porque sei a generosidade que existe no seu coração. (você sabe do que eu estou falando.)

    Forte abraço de gratidão.

  12. Eduardo Medeiros says:
    18 de março de 2010 18:26

    Um calvinista diria: ele escolheu porque quis e porque é soberano. Tem sua Lógica.

    Um arminiano diria: ele não escolheu você, você o escolheu. Quem não o escolher, morrerá em seus pecados. Tem sua lógica.

    Grita o poeta de rua: Lógicas que se excluem não podem ser lógicas.

  13. Isa Medeiros says:
    18 de março de 2010 21:37

    Jair

    Para incluir o Um pouco além do óbvio na sua lista de blogs, faça o seguinte:

    Painel do Blogger>>Layout>>Minha lista de blogs>>Adicionar à lista> digite: http://poucoalem.blogspot.com/ >> "Adicionar">> "Salvar"

    Abraço.

  14. Levi Bronzeado says:
    18 de março de 2010 23:59

    Bravo Jair


    Tens o dom da poesia

    Essa religião que encanta e se canta por aí afora é para se ter aversão mesmo.

    A verdadeira religião é essa: visitar os órfãos e as viúvas em suas aflições e guardar-se da corrução do mundo. (Tiago 1: 27)

  15. Jair dos Santos says:
    19 de março de 2010 08:14

    Meu Capitão Eduardo;

    Fico com esta opção:

    "Grita o poeta de rua: Lógicas que se excluem não podem ser lógicas."

    Sou este poeta de rua que se livrou das paredes de gesso e que suja os pés no barro vermelho desta estrada chanmada vida.

  16. Jair dos Santos says:
    19 de março de 2010 08:15

    Mano Isaias;

    Grato pelas dicas, já te adcionei também.

    Forte abraço.

  17. Jair dos Santos says:
    19 de março de 2010 08:23

    Mestre Levi;

    Esta religião atual é como anestésico de efeito paliativo, tem até um sabor adocicado e seu efeito é momentâneo, mas não trata a raiz das dores e apenas mascara a enfermidade.

  18. Isa Medeiros says:
    19 de março de 2010 20:43

    Obrigado, amigo, fico honrado com a gentileza.

    Abraço.

Postar um comentário