Recusando as drogas



Peço permissão ao Mestre Levi Bronzeado; Inspirado na sua postagem A Patética Retórica do Ator Gospel e baseado em um comentário que fiz, descrevo mais uma analogia da deprimente pregação do evangelho atual.

Comparo as cenas do espetáculo gospel atual ao efeito de uma droga pesada que infelizmente afeta os olhos, os ouvidos, atinge o cérebro o coração e até alma daqueles que se deixam entorpecer.

Atraído por experiências transcendentais os usuários desta droga são facilmente envolvidos pela fala dos “traficantes da fé”, com argumento de que estão cheios do “espírito santo” entregam seus corpos aos sacolejos colaterais desta viajem.

A coisa começa de maneira leve quase que imperceptível, inserida na letra das canções entoadas nestes centros de grande concentração de dependentes. Canções que afloram sentimentos de vingança e de alto-afirmação e que só massageiam o ego humano, a melodia tem “sabor de mel” mais o final é amargo e o efeito é devastador.

O objetivo desta droga é criar pessoas sem compaixão, sem misericórdia, desprovidas de amor.
Como podem afirmar que são cheios do Espírito Santo? Se ao final do efeito desta droga (contorcionismo, pula-pula, cambalhotas e arrebatamentos de sentido) continuam guerreando entre si na busca dos seus interesses?

O mais triste é que as grandes massas atingidas por esta droga são constituídos de pobres trabalhadores e desempregados, que ao fim das tais reuniões de poder, terão que enfrentar a realidade da sua infeliz situação, ou seja, chegarão a suas casas e continuarão desempregados e no dia seguinte irão enfrentar o ônibus lotado e as enormes filas no centro de auxilio ao trabalhador e os que trabalham enfrentarão o transporte lotado e o patrão mal humorado.

Esta é uma realidade que todos enfrentam ou já enfrentaram, as adversidades da vida são inevitáveis não dá para fugir ou se esconder. Mais se vivermos de forma á obedecer à palavra de Deus, sabemos que as adversidades terão fim. Não é alucinação nem utopia é a promessa de Deus.

“Eu fico com a palavra de Deus”.

3 Response to "Recusando as drogas"

  1. Pastoragente says:
    30 de novembro de 2009 22:46

    Graça e paz!
    “Andando” por aí cheguei até o seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
    Já estou te seguindo e será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com.
    Se quiser segui-lo vai ser uma alegria pra mim.
    No blog conto da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
    Fique na paz. Um abraço.

  2. Jair dos Santos says:
    30 de novembro de 2009 22:59

    Seja Bem vinda; Fico muito honrado.
    seguirei seu blog á recíproca é verdadeiara.

  3. Marcio Alves says:
    4 de dezembro de 2009 09:49

    É por isso que em muitas igrejas, mesmo sem ter e perceber tais mudanças nas circunstancias da vida, domingo após domingo, os crentes continuam enchendo os templos.

    Para fugir da realidade nua e crua da nossa existência humana.

    Faz algum tempo que vi, em uma propaganda dessas igrejas-dos-milagres, com os seguintes dizeres:
    “Vem aqui e pare agora de sofrer”.

    Esta é a mais absurdas das mentiras-alucinátorias, pois o sofrimento é uma condição humana, independente de cor, sexo, raça, idade, religião ou condição social, pois todos sofrem.

    Nisto concordo plenamente com Santo Agustinho que diz:
    “Deus teve um filho sem pecado, mas nenhum que não sofresse”.
    Ou seja, sem pecado somente Jesus, mas até Jesus, sofreu as dores existências humanas.

    A diferença é que, uns sofrem mais outros menos, mas todos nós sofremos ou iremos sofrer.

    Portanto é loucura e alucinação, usar da religião – principalmente os evangélicos – para antecipar os acidentes, tentando escapar de tragédias, evitando as dores e sofrimentos humanos.

    Porém a triste constatação é que, o povo que ser iludido, fugindo dos problemas nem que seja por um culto.

    Mas, a verdade é que, o problema continua ou continuarão a existir.

    Pode fazer campanhas, jejuns, dar dízimos e ofertas, passar óleo ungido nas paredes das casas, receberem a “oração forte” do Apostolo, que não adiantará, o sofrimento continuará existindo.

    A impressão que tenho é que, os crentes usam os cultos, como o drogado usa as drogas, para fugir, fantasiando a vida.

    Mas não adianta, pois assim como os drogados ficam mal após efeito das drogas, assim também os tais cultos-milagres-vitorias-e-poder deixa um rastro de após efeito, levando muitos a ficarem decepcionados e frustrados.

    Um grande abraço

    Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.

Postar um comentário